Jennifer Lawrence falou sobre Operação Red Sparrow e nós estávamos lá!


Cobrimos a coletiva virtual que teve com a Jennifer Lawrence e Francis Lawrence, diretamente de Londres. Jennifer estava promovendo seu novo filme “Operação Red Sparrow” que conta a história de Dominica Egorova, uma bailarina muito talentosa porém está em maus bocados. Ela é convencida a se tornar uma Sparrow, ou seja, uma sedutora treinada na melhor escola de espionagem russa. Dominica passa por um árduo treinamento se tornando uma espiã talentosa, mas precisa lidar com o agente CIA Nathaniel Nash (Joel Edgerton) com quem acaba se envolvendo. Os dois acabam vivendo uma paixão complicada e proibida.
Nossa coletiva foi breve, mas muito divertida. Jennifer estava descontraída e foi muito simpática com as pessoas que fizeram perguntas.

Confira a entrevista na íntegra.

O filme é muito importante atualmente, mas se fosse exibido há um tempo atrás, seria bem recebido?

Francis Lawrence: Não, não seria por conta da cultura que existia antigamente que hoje as pessoas têm a mente um pouco mais aberta. Este filme foi pensado há uns 3 anos atrás e é perfeito que foi lançado agora, quando as pessoas estão sendo ousadas e falando suas histórias do que tem acontecido. Mas o que mostra no filme é que o que as pessoas estão falando agora já acontecia há
muito tempo atrás.

Qual o critério que você (Jennifer Lawrence) usa para escolher os personagens? E neste filme em particular, por que você escolheu este
personagem da Dominica?

Jennifer: Profissionalmente tem sempre algo que eu gosto de usar como critério, que é poder me desafiar. Claro que como atriz nosso trabalho sempre é físico, mas eu gosto de ir além. Eu gosto de trabalhar com diretores que eu
admire e confie. O roteiro tem que ser bom e o personagem me cativar. Mas pessoalmente eu escolho os filmes por motivos diversos, as vezes porque me afetam de maneiras diferentes e as vezes por ter uma conexão com o
personagem. Porque muitas vezes você passa 6 meses dentro de um personagem. E não é tão simples porque você tem que pensar,se você consegue ser esta pessoa por 6 meses? Nós temos uma conexão? Eu consigo fazer? Estou
me desafiando?

Os livros agora são uma trilogia. Nós tivemos o primeiro livro transformado em filme. Você tem planos para a continuação da história da Dominica no
cinema?

Francis: Não temos nenhum plano ainda definido, apesar que ainda tem bastante história para contar sobre a Dominica, por causa dos livros. Eu tenho algumas ideias do que podemos fazer, mas não estamos pensando em franquias para forçar o público a assistir, ou seja, não temos ainda nenhuma data confirmada ou algo do tipo. Acho que se as pessoas assistirem o filme e sentirem que precisam de mais, podemos pensar sim sobre uma continuação.
Eu sou um grande fã e eu sei que muitos diretores hoje em dia começam suas carreiras dirigindo vídeo clipes. E eu sou um grande fã dos seus vídeos clipes.

Eu gostaria de saber se você tem algum em especial que seja o seu preferido? E se a Jennifer tem um favorito?

Jennifer: Eu tenho!
Francis: Eu acho que tenho alguns preferidos por diversos motivos, mas o últimoque eu fiz “Bad Romance” da Lady Gaga eu gostei muito. Teve muita cooperação dela. E tem também um que eu fiz chamado “Lights Down Low”que não é muito conhecido. Nós gravamos na Jamaica e o mais legal foi que eu não sabia muito
sobre o Bob Marley e fazer o dueto com gravações foi muito interessante. Foram 3 semanas com a família Marley e para mim foi muito enriquecedor e de muitoaprendizado.
Jennifer: O meu é “I’m a Slave for you” da Britney Spears.

Todos nós ouvimos que a preparação para este personagem foi muito difícil, tipo uma Marathon Men. Você ficou dias sem dormir e tudo foi muito intenso. Então como foi esta
preparação? Francis torturou você (risos)?

Jennifer: (risos) Não. Na verdade, uma das maiores torturas foi ficar fôlego e Laurence Olivier virou e falou: O que você está fazendo? Você não pode atuar que está sem fôlego? Eu acho que a Jennifer é igual o Laurence Olivier,
que vai atuar que está sem fôlego.
Jennifer: (risos) Dito isso, o que quer que seja que o Dustin Hoffman esteja fazendo, é muito bom e vale a pena (risos).
Francis: Quero dizer que ambos são bons atores, mas você (Lawrence) irá atuar
que está sem fôlego (risos).
Jennifer: Sim, mas na maioria das vezes como Laurence Olivier porque eu tenho o mesmo nível de talento.
Francis: Não.
Jennifer: Hey (risos). Eu posso dizer isso.

Joel Edgerton está neste filme e o personagem dele tem uma relação especial  com Dominica. Então como foi este processo de trabalho com ele para  desenvolver esta química?

Jennifer: Ninguém poderia ser mais perfeito para este papel como o Joel Edgerton. Trabalhar com ele foi muito incrível, ele é muito engraçado. Nós temos formas de trabalhar muito similar pois não gostamos se ser tão sérios no
set, o que foi ótimo para nós, mas péssimo para o Francis. Eu acho que ele é simplesmente fenomenal, ele trouxe muito mais para o papel do que estava escrito. Sem contar que o sotaque americano dele foi maravilhoso. Que me
deixou com complexo com o meu sotaque. Ele foi maravilhoso, incrível.

Eu sei que a Jennifer já respondeu sobre as cenas de tortura, mas eu gostaria de saber como foi filmado. Foi difícil? Foi engraçado?

Jennifer: Quando um ator tem que fazer algo muito físico no set, Francis sempre era muito claro sobre o que deveríamos fazer e como faríamos. E sempre se preocupava em filmar o mais rápido possível. Então claro que, ficar com os braços presos em uma posição desconfortável é ruim, mas sempre filmávamos muito rápido, então é muito bom trabalhar com alguém como o Francis, que é organizado e focado, algo que eu sempre vi em outros filmes dele. E é muito bom trabalhar com alguém assim no set para não ter surpresas.

Muitos filmes hoje em dia têm franquias e continuações. O quão gratificante  foi fazer um filme ou personagem nunca antes feito e visto? Teve algum tipo de pressão?

Francis: Bom, eu acho que este é o momento onde sentimos a pressão porque quando se está fazendo o filme você se sente ótimo por não ser um remake ou algo do tipo. Você sente que é algo novo e foi fantástico. É um filme mais adulto, mas é neste momento, agora, que vemos se as pessoas vão receber bem o filme ou não. Esta é a parte assustadora, pois não é um filme de quadrinhos.

Operação Red Sparrow está em cartaz nas principais salas do país.

Confira o trailer:

É editora e designer. Não nega seu lado geek e é fã de carteirinha de TWD. Acompanha mais de 20 séries de TV. Ama fazer maratonas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

log in

reset password

Voltar para
log in